Como a religião influencia as pessoas

É inegável que a religião influencia a vida da maioria das pessoas. Mas como a religião influencia as pessoas? Essa influência pode ser positiva ou negativa, dependendo do contexto e de como as pessoas tratam a religião. Por isso é importante debater, discutir e estudar as diferentes religiões pelo mundo.

Mas afinal, como a religião influencia as pessoas?

Aqui discutiremos as influencias positivas e negativas da religião. Primeiramente falaremos das coisas boas que ela traz para a vida das pessoas. Depois, das coisas ruins.

Influencias positivas

Existem muitas influencias positivas da religião para aqueles que creem e seguem uma doutrina. Para mim, a principal delas é dar um propósito de vida aos seus seguidores. Muitas pessoas não possuem um propósito de vida bem definido e encontram na religião esse propósito. Algo a que se agarrar e acreditar que faz parte de algo maior que si mesmo.

Outra influencia é dar uma válvula de escape para as pessoas. Atualmente, nos deparamos com muitas notícias ruins que nos faz perder as esperanças na sociedade humana como um todo. Existem até algumas notícias boas, porém o que é mais difundido são as tragédias e tudo quanto é tipo de malfeito. Desse modo, as pessoas veem na religião algo positivo, para manter as esperanças.

Além disso, a maioria das religiões possuem um código moral que deve ser respeitado. “Não matarás” é um exemplo. Acredito que muitas pessoas deixam de cometer crimes e delitos porque temem o castigo divino.

Sem contar que existem muitas instituições religiosas que possuem programas sociais, que ajudam inúmeras pessoas.

Mas como nem tudo são flores, iremos falar agora sobre o outro lado da moeda.

Influencias negativas

Devido ao grande número de religiões diferentes e às diferentes interpretações dadas a uma mesma religião, existem conflitos religiosos em todo o mundo. No passado, várias guerras foram travadas por motivos religiosos. Ontem, dia 27, o Papa Francisco chegou ao Mianmar, país com vários relatos de perseguição religiosa.

Existem também extremistas que utilizam a religião para justificar atentados terroristas. Antigamente, a maior organização que fazia esse tipo de coisa era a Al Qaeda. Hoje, os principal grupo terrorista que utiliza a religião como base é o Estado Islâmico. Você pode entender um pouco mais sobre o ISIS no vídeo abaixo:

Embora eu não concorde com a opinião do autor do vídeo, ele é muito informativo e ajuda a entender a situação como um todo.

Outra influência negativa é a influencia da religião no Estado. A famosa bancada evangélica quer impor suas crenças como leis em todo o país, o que é um grande problema. Vivemos em uma democracia e em um país laico, de modo que querer legislar de acordo com crenças religiosas não está correto. Nos últimos dias houve grande discussão porque uma lei que impede o aborto em qualquer situação está sendo debatida no congresso.  Para mim, o país possui problemas muito maiores que requer mais urgência.

Bancada evangélica em culto na câmara.

Conclusão

Enfim, discutimos aqui como a religião influencia as pessoas. Existem pontos positivos e negativos é obvio, e muitos outros não foram citados aqui. Se você concorda, discorda ou gostaria de acrescentar algo, deixe sua opinião nos comentários. Abraços!

 

 

Teoria das Lacunas e a religião

Recapitulando…

Nos dois últimos posts do blog eu falei sobre a minha visão sobre Deus. Você pode vê-los clicando nos links: parte 1 e parte 2.  Neles eu apresentei meus argumentos e, lendo um pouco mais sobre o assunto, vi que ele poderia cair na Teoria das Lacunas. Então eu vou falar um pouco mais sobre essa teoria aqui.

Teoria das Lacunas

A Teoria das Lacunas é uma teoria que diz que tudo que não conseguimos explicar é atribuído à Deus. O astrofísico Neil deGrasse Tyson fala sobre a teoria das lacunas no vídeo abaixo:

Nesse vídeo, fala sobre Deus como um bolso cada vez mais vazio. Isso quer dizer  que muitas coisas que eram atribuídas à divindades foram explicadas pela ciência, de modo que as atribuições divinas diminuem cada vez mais. Desse modo, à medida que a ciência avança, teoricamente, os argumentos a favor de Deus perdem força.

Minha visão e a teoria

Estudando sobre essa teoria e refletindo, cheguei a conclusão de que os meus argumentos poderia cair nessa teoria. Afinal, meu principal argumento é de que a única explicação para o surgimento do universo é Deus. Para mim, a ciência é e sempre será incapaz de explicar o início do mundo pelo simples fato de que eu acho impossível de se explicar.

No meu post anterior, eu falei que um amigo meu discordou de mim falando que isso é algo ainda não compreendido, ao invés de incompreensível. Após refletir muito, principalmente nos argumentos relacionados ao tempo e à matéria, continuo com minha opinião. Não consigo imaginar a ciência explicando esses fatos.

Ainda considero o tempo inexplicável.

Então os meus argumentos caem na teoria das lacunas? Essa é uma pergunta difícil. Eu não considero que caia porque não é simplesmente o fato de a ciência não conseguir explicar. Para mim, o conceito de Deus reside no inexplicável. Não existe antes de Deus porque ele é Deus. Somente Deus poderia criar a matéria. Esse é o meu argumento. Eu não sou uma pessoa religiosa, de modo que eu tento pautar meus argumentos em estudos e reflexões científicas. Assim, considero que minhã visão faz todo sentido, de modo que eu também respeito quem discorda de mim.

Minha visão sobre Deus – Parte 2

Deus existe ou não?

Nessa postagem eu vou dar continuação à discussão sobre a existência de Deus, de acordo com a minha opinião. Essa é a segunda parte da discussão, então, caso ainda não tenha visto, aqui está a primeira parte.

Resumindo, na primeira parte eu apresentei alguns argumentos sobre a Bíblia e a visão da divina da Igreja. Agora eu vou apresentar definitivamente a minha visão de Deus.

Para mim, Deus existe.

Cada pessoas tem suas crenças e sua fé (ou ausência de fé). Embora eu não compartilhe da visão de Deus da Igreja e questiono bastante a Bíblia, eu acredito na existência de Deus. Mas essa crença não está relacionada à Igreja ou à Bíblia. É engraçado, porque a minha visão de Deus, embora não esteja relacionada à esses dois aspectos, é uma visão cristã. Eu acredito que Jesus Cristo existiu e que ele é o filho de Deus. Bom, a existência de Jesus é comprovada por vários fatos históricos, então você não acreditar que ele existiu é negar os fatos. Porém acreditar que ele é ou não uma figura divina é outra coisa. Essa parte talvez eu não consiga explicar direito, pois não existe um motivo exato para eu acreditar que Jesus é o filho de Deus.

O fato de eu acreditar em Deus sim, tem uma explicação exata. A ciência explica o início do universo com o Big Bang, em que toda a massa do mundo estava concentrada e depois de uma explosão o universo surgiu. Depois disso, ele começou a se expandir e se transformar, até se tornar o que é hoje. Porém essa teoria (ainda é uma teoria, mas é a mais aceita) não consegue explicar tudo. A pergunta que fica é: de onde surgiu a massa inicial, antes da explosão. Segundo a física, a matéria não pode ser criada nem destruída, apenas transformada. Então de onde surgiu a matéria inicial?

Para a ciência, tudo começou com o Big Bang.

Essa pergunta está relacionada à uma indagação que eu considero não possuir resposta, e que está relacionada ao tempo. O tempo é uma variável que torna as coisas muito difíceis de se explicar. Você pode sempre fazer a pergunta: mas e antes disso? E antes do Big Bang? E antes de Deus?

Deus e o tempo

Muitas pessoas questionam a existência de Deus através da pergunta “E antes de Deus?”. E é exatamente aí que reside a minha visão divina. Não existe nada antes de Deus porque ele é Deus. Minha visão de Deus é um ser que é inexplicável, que é a resposta para tudo que nós não conseguimos explicar. Em uma conversa com um amigo meu (ateu) ele disse que essas questões ainda não foram explicadas. Eu as considero inexplicáveis. Para mim a existência de Deus é lógica, pois eu não consigo enxergar o início das coisas sem a existência de tal ser.

A existência de Deus está fortemente ligada ao tempo.

Em poucas palavras minha visão é essa. Você pode concordar ou discordar nos comentários, sinta-se à vontade. Obviamente que eu não consegui explicar tudo aqui, porém eu acho que já dá para ter uma noção básica sobre a minha visão.

Minha visão sobre Deus – Parte 1

Deus existe ou não?

Inicialmente, quero deixar claro que o que está aqui é apenas a minha opinião, sinta-se à vontade para questioná-la. Se você concorda ou não é um direito seu e eu estou disposto a conversar com todos que quiserem debater sobre o assunto. Porém eu não vou tolerar xingamentos rasos ou ataques à mim ou aos nossos leitores. Enfim, boa leitura.

Deus segundo a Igreja

Inicialmente, quero falar um pouco sobre a minha criação, para que a minha visão faça sentido para vocês. Eu sou filho de pais católicos e fui batizado na Igreja Católica quando bebê, como a maioria da população brasileira e do mundo (caso queira mais dados, veja nosso primeiro post). Assisti à missas quase todas as semanas até os meus 18 anos, quando comecei a questionar a visão de Deus de acordo com a Igreja. Sempre fui uma pessoa muito racional e crítica, de modo que é difícil para mim acreditar em certas coisas simplesmente porque um padre disse ou porque está escrito na Bíblia.

Durante muitos anos eu frequentei a Igreja Católica.

E é aí que está a principal diferença entre a minha visão e a visão da Igreja. Para a Igreja, a Bíblia é a palavra de Deus e tudo que está escrito ali é verdade absoluta. Devemos ler e seguir os ensinamentos da Bíblia. Porém, a Bíblia foi escrita por homens. E todos sabemos que os homens estão sujeitos à falhas, sejam ela intencionais ou não.

Os homens que escreveram a Bíblia eram homem de muita fé, de modo que eles não possuíam imparcialidade ao escrever a Bíblia. Por exemplo: vamos assumir que na época em que a Bíblia estava sendo escrita não existisse uma explicação para os raios e trovões. Assim, caso uma pessoa de muita fé visse um raio ao terminar de rezar, ela poderia atribuir isso a Deus. Mas o mais provável é que tenha sido apenas uma coincidência. O que eu quero dizer é o seguinte: quem escreveu a Bíblia estava “cego” pela fé, de modo que tudo para eles seriam atribuídos à Deus.

Os raios poderiam ter explicações divinas no passado.

A Arca de Noé

Um exemplo sobre o que está escrito na Bíblia e que eu não consigo acreditar: a Arca de Noé. A história da Arca de Noé é colocada na Bíblia de um modo que eu não considero metafórica. Ou seja, o que está escrito ali é um relato sobre o que de fato teria ocorrido. Não é uma metáfora para outra coisa ou é uma história que pode ser interpretada diferente. Desse modo, o que está escrito é sim o que, segundo a Bíblia, aconteceu.

O problema é que eu considero praticamente impossível colocar animais de todas as espécies em uma grande arca, esperar o dilúvio passar e depois esse animais iriam voltar para seu habitat e se reproduzir. Isso sem contar que outros continentes foram povoados por animais terrestres. Como um esquilo, por exemplo, sairia da África e chegaria no Brasil após o dilúvio?

Parte 2…

A discussão é profunda e difícil, de modo que apenas uma postagem não seria suficiente para eu explicar toda a minha visão sem deixar o texto muito longo. Desse modo, em breve farei uma segunda parte, terminando de explicar a minha visão sobre Deus.

 

Religiões pelo mundo

Religião: uma necessidade humana

No mundo inteiro e ao longo da história, diversas religiões e crenças surgiram e desapareceram. A religião e a fé é uma necessidade do ser humano, já que, desde o início da humanidade, existem perguntas sobre a existência e o surgimento do universo que ainda não foram respondidas. Desse modo, muitas crenças surgiram, de modo que as pessoas passaram a atribuir certos fatos e acontecimentos à seres divinos.

Com o avanço de estudos científicos, várias perguntas que antes tinham como respostas atividades divinas, passaram a ser respondidas pela ciência. Isso gerou um aumento gradativo de ateus, que buscam a ciência para explicar o que elas não compreendem. Porém a religião e a fé ainda possuem grande influência da vida e no comportamento das pessoas. Além disso, a ciência ainda não conseguiu explicar todas as perguntas existenciais da humanidade, e eu creio que nem conseguirá. Em breve escreverei um artigo explicando minha opinião sobre o assunto.

Religiões pelo mundo

Símbolos de diversas religiões pelo mundo.

Existem milhares de religiões e crenças no mundo inteiro, porém apenas 4 religiões concentram cerca de 90% de toda a população mundial. São elas:

  • Cristianismo: a religião cristã é a que possui mais adeptos em todo o mundo: cerca de 2 bilhões de pessoas. O cristianismo é composto por todas as vertentes que acreditam na figura de Jesus. A influência do cristianismo na nossa sociedade é tão grande que o calendário cristão é o mais utilizado no mundo inteiro.
  • Islamismo: em segundo lugar temos o islamismo, que é uma religião pautada nos ensinamentos do profeta Maomé e que tem no Alcorão seu livro base. O islamismo é frequentemente associado ao terrorismo pelos ocidentais. Porém, existe uma grande discussão sobre o fato de o islamismo pregar o terrorismo ou se ele é uma religião pacífica, distorcida por pessoas que querem espalhar o terror. Estima-se que o islã possua cerca de 1,4 bilhão de adeptos.
  • Budismo: o budismo é uma religião pautada nos ensinamentos de Buda, sendo mais popular em países asiáticos. A estimativa no número de adeptos é bastante difícil, porque tem aqueles que não a consideram uma religião por não ser teísta.
  • Hinduísmo: o hinduísmo é uma religião popular na Índia. Como a Índia possui mais de 1 bilhão de habitantes, sua maioria hindus, a religião possui um grande número de adeptos. Porém o hinduísmo não é muito popular fora do território indiano e proximidades.

Conclusão

Esse foi a nossa primeira postagem. Ela é bem superficial e procura fazer uma breve introdução sobre religiões. Em breve outras postagens irão aprofundar assuntos relacionados à religião, então fique ligado. Abraço e até a próxima.